segunda-feira, 3 de maio de 2010

Já lá estamos!!!





A SUP visitou este domingo o reduto dos Canaviais sabendo de antemão que seria um jogo com duas premissas iniciais muito fortes. A obrigatoriedade de ganhar para cumprir o único objectivo da temporada (ser campeão), e de ter uma postura séria e lutadora dentro de campo, pois enfrentávamos um mui valoroso conjunto. Aliado a isso o pelado estava em bom estado, a moldura humana estava razoável e os artistas não podiam pedir nada mais que não fosse o apito inicial. Dado este pelo senhor Bruno Rebocho, assistiu-se a uns grandes 20/25 minutos iniciais da SUP com a equipa sempre a ser mais rápida sobre a bola, com uma grande dinâmica atacante, muito por culpa de Luís Godinho e Muga que apareceram sempre a tabelar bem e ao primeiro toque com os alas e com Cláudio que segurou sempre muito bem e também fez jogar a equipa. Fruto destas movimentações a SUP dispôs neste periodo de uma mão cheia de situações passíveis de concretização e fazendo uma breve rapsódia podemos lembrar duas situações em que biafra vai a linha e cruza com perigo, um remate de Tó Manuel que passa não muito longe da baliza, uma situação em que Godinho a passe de Miguel aparece isolado na área mas não recebe nas melhores condições e o defesa corta, uma grande jogada entre Godinho Muga e Cláudio ao primeiro toque que no momento final a defesa afastou, e ainda uma cobrança exímia de Muga que meteu a bola no poste na marcação de um livre. Passados os primeiros 25 minutos o jogo sofreu algumas mutações. Em termos territoriais continuava-se a jogar no meio campo dos Canaviais, mas agora com menos qualidade nas trocas, com os canaviais a cortarem mais bolas para as laterais (Jó em dez minutos deve ter feito uns 15 lançamentos) e a conseguirem sempre travar os intentos dos Perolivenses. A perda de qualidade na posse de bola parece ter intranquilizado os jogadores da SUP que deixaram (e mal) de apostar no bom jogo colectivo que estavam a realizar e começaram a tentar resolver com jogadas individuais que saíram invariavelmente frustradas. Porém os Canaviais pouco ameaçava e a toada do jogo parecia não se alterar até ao minuto 42. Bola alta que Fábio divide de cabeça com o oponente directo, ganhando esta com limpeza mas o senhor Bruno Rebocho estava lá era para apitar muito e mal e assinalou falta. Livre batido e golo para os Canaviais. Duríssimo revés nas nossas aspirações, ainda por cima com um golo injusto para aquilo que haviam feito as duas equipas. Porém a equipa encheu-se de brio e 2 minutos depois é assinalado um livre muito longe da baliza. Muga dispara uma "bomba" que o guarda redes apenas conseguiu defender para a frente, aparecendo Fábio Silva que se antecipou ao defesa para marcar na recarga. 1-1 mesmo a acabar a primeira parte, e tudo para o descanso.
A segunda parte foi em boa verdade um mau espectáculo de futebol. E muito se deve este facto à sobre-actuação do trio de arbitragem, que num jogo em que houve sempre lealdade das duas equipas mas com a normal luta de quem quer ganhar o jogo o trio liderado por Bruno Rebocho teve quase sempre mal técnico e disciplinarmente. Assim sinto que devo fazer uma apreciação ao trabalho do árbitro pois penso que nestas circunstâncias mais que "malhar em ferro frio" isto pode servir a alguém que retire delas o sentido com que as escrevi. Um árbitro é um agente regulador dentro de um jogo. É ele que deve primeiramente zelar pela sua normalidade, incutir-lhe calma, usar de uma adequada pedagogia e diálogo com os jogadores e mais que isto tudo ser corajoso. Ninguém faz justiça sem coragem, e o estilo de arbitragem usado pelo trio de Domingo em nada honra um espéctaculo. Quando em qualquer bola dividida o árbitro assinala a favor dos da casa e quando um jogador visitante entra e na primeira falta que faz a meio campo leva amarelo, está claro que o árbitro apita em função do que lhe irá fazer arder menos as orelhas na hora de decidir. E não é este o caminho que se deve trilhar se queremos um melhor futebol. Quanto ao jogo poucas ocasiões de golo de parte a parte, muita luta a meio campo, apenas com relevância para um livre combinado de Muga e Tó Manel que quase deu golo. Apito final e subida carimbada, agora é hora de ir buscar o título a Mora.
.
Equipa titular:
1-Luis Murteira
2-Tonho
4-Jorge Conde (cap)
5-Jó
6-Miguel Roque <<<
7-Luis Godinho
9-Muga
10-Tó Manel
14-Luis Biafra <<<
15-Claudio Cavacas
18-Fábio Silva
.
Suplentes:
12-Fábio Lameira
8-Luis Paulo >>>
13-Bruno Martins
17-Pirika >>>
19-Vando

Sem comentários: